Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

O Holocausto na visão do Rebe

O Holocausto na visão do Rebe

Por Yanki Tauber

 E-mail

O Lubavitcher Rebe é amplamente reconhecido como alguém que desempenhou um papel singular na definição do Judaísmo pós-Holocausto.

Como milhões de sua geração, o Lubavitcher Rebe foi afetado pessoalmente pelo Holocausto. Seu irmão mais novo, DovBer, foi baleado e jogado numa vala comum, assim como dezenas de milhares de outros judeus numa série de massacres conduzidos pelos alemães logo após a ocupação de Dnepropetrovsk no outono de 1941. Sua querida avó e outros membros da família também foram mortos. A esposa do Rebe perdeu sua irmã mais jovem, Sheina, que pereceu em Treblinka, juntamente com o marido e o filho adotivo.

Em seus escritos e discussões sobre o tema, o Rebe rejeitou todas as explicações teológicas para o Holocausto. Que conceito maior - diria o Rebe - e que maior desumanidade - pode haver que dar um "motivo" para a morte e tortura de milhões de homens, mulheres e crianças inocentes? Podemos presumir que alguma explicação, suficientemente simples para encaixar-se nos limites finitos da razão humana, possa explicar um horror de tal magnitude? Podemos apenas concordar que existem coisas que estão além do alcance finito da mente humana.

Ecoando as palavras de seu sogro, o Rebe dizia: "Não cabe a mim justificar D'us nisso tudo. Somente o próprio D'us pode responder porque Ele permitiu que acontecesse". E a única resposta que aceitaremos - disse o Rebe - é a imediata e completa Redenção que para sempre expulsará o mal da face da terra e trará à luz a bondade intrínseca e a perfeição da criação de D'us.

Para aqueles que argumentam que o Holocausto invalida a existência de D'us ou Sua providência sobre nossa vida, o Rebe diz: "Pelo contrário - o Holocausto refuta decisivamente qualquer possível fé numa moralidade baseada no humano. Na Europa de antes da Guerra, era o povo alemão que ditava a cultura, progresso científico e moralidade filosófica. E foi este mesmo povo que perpetrou as atrocidades mais vis que se conhecem na história humana! Pelo menos o Holocausto nos ensinou que uma existência civilizada e moral somente é possível por meio da crença e da aceitação da Divina autoridade".

O Rebe também declarou: "Nosso ultraje, nosso incessante desafio a D'us por aquilo que ocorreu - é em si mesmo o mais poderoso atestado de nossa crença n'Ele e nossa fé em Sua bondade. Porque se não tivéssemos esta fé, por que ficaríamos ultrajados? As voltas cegas do destino? O arranjo aleatório que compõe o universo? É somente porque acreditamos em D'us, porque estamos convencidos de que existe o certo e o errado, e que o certo deve, e certamente, triunfará, que clamamos, como fez Moshê: 'Por quê, meu D'us, fizeste mal a Teu povo?'"

Porém o mais importante para o Rebe sobre o Holocausto não era como nós o entendemos ou não, nem mesmo como homenageamos nossas vítimas, mas o que fazemos a respeito disso.

Se permitirmos que a dor e o desespero nos desencorajem de criar uma nova geração de judeus com um forte comprometimento com seu Judaísmo, então a "solução final" de Hitler se cumprirá, D'us não o permita. Mas se reconstruírmos o que foi destruído, se criarmos uma geração orgulhosa e comprometida com seu Judaísmo, então teremos triunfado.

Nota
O dia Dez de Tevêt é uma data trágica para a história judaica. A dez de Tevêt de 3336 (425 AEC), o imperador babilônico Nabucodonosor empreendeu o cerco a Jerusalém - um cerco que resultou na conquista da cidade, na destruição do Templo e no exílio do povo de Israel. Até o dia de hoje, dez de Tevêt é observado como dia de jejum, luto e arrependimento. Mais recentemente, foi escolhido para servir também como "dia geral de kadish" para as vítimas do Holocausto, muitas das quais não se conhece o dia do martírio (a Lei Judaica estipula que se o dia do falecimento da pessoa é desconhecido, seja escolhida uma data apropriada na qual dizer a prece do kadish em seu mérito). Em certa ocasião, o Rebe dedicou grande parte de um discurso de Dez de Tevêt para falar sobre o Holocausto e transmitir algumas das idéias expressas nesse artigo.

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
5 Comentários
1000 Caracteres restantes
Thiago Menasheh 8 Outubro, 2015

Am Israel Chai !
B"H ! Reply

Ana S. Paulo, SP/Brasil 11 Setembro, 2012

Lindo e maravilhosa artigo.

Judeus nunca conheci um povo tão ético, tenho orgulho de ter alguns amigos Judeus. Reply

Anonymous Recife, PE/ Brasil 27 Janeiro, 2012

Os vossos artigos são esclarecedores e de grande profundidade. Recebo-os semanalmente com muito gosto. E deixo uma pergunta para vocês:
O Holocausto Terminou Mesmo?
Ainda vemos um anti-semitismo tão velado de todas as formas!!!
Gostaria que abordassem esse assunto. Reply

Terezinha Parobé, RS/Brasil 20 Setembro, 2011

Sou cristã e grande admiradora do povo judeu. Sempre me interessei pela história e fatos da segunda guerra e foi aí que tomei conhecimento das atrocidades cometidas contra esse povo. Aí aprendi a amar o povo judeu, solidária com toda sua dor, incapaz de entender tamanha monstruosidade e a negligência do resto do mundo.
O holocausto nunca deve ser esquecido para que futuras gerações tenham em mente do que é capaz o ser humano, aquele que chamamos de animal racional.Talvez esse seja o erro: ter a capacidade de pensar, tramar e elaborar genocídios. Reply

Elisaide Gotti Chagas Bauru, SP/Brasil 21 Abril, 2010

O Holocausto é uma demonstração de inferioridade por parte de todos que agrediram os judeus. Judeus sao pessoas abençoadas por D-us, e por isto o mundo tem inveja deles, eles sao humildes, honestos, e tem uma fé inabalavel por isto sao o povo de D-us e aos invejosos ao inves de criticar, ou guerriar façam como os judeus: tenham fé e sejam humildes. D'us é de todos, mas se nao tiver fé nao adianta. Reply