Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato
O maior ato de terror e desumanidade na história.
O extermínio de crianças entre as milhares de vítimas. Mais de um milhão e meio de crianças foram mortas durante o terror nazista.
"Onde estava o homem durante o Holocausto?"

Holocausto & Anti-Semitismo

Holocausto & Anti-Semitismo

 E-mail
Então o que é antissemitismo? Sejamos claros – não gostar das pessoas porque são diferentes não é antissemitismo. É xenofobia. Criticar Israel não é antissemitismo; é parte do processo democrático, e Israel é uma democracia.
Os documentos foram finalmente liberados depois que a ex-enviada dos EUA à ONU, Samantha Power, pressionou para que o arquivo fosse divulgado, de acordo com The Independent.
Havia muitas coisas que eu sabia sobre o Sr. Friedman, e muitas que eu não sabia. Um fato que eu pensei ter entendido foi que ele sempre fora um homem com poucos meios. Então quando pela primeira vez ouvi falar sobre a Torá do Holocausto, pensei ter entendido mal.
Foi apenas em 2015, 70 anos depois do fim do Holocausto, que Nanette se sentiu segura para contar ao mundo o que testemunhou em Bergen-Belsen. Hoje com 86 anos, ela organizou suas memórias no livro “Eu sobrevivi ao Holocausto” lançado neste mês pela editora Universo dos Livros.
Apenas Mais um Grupo de Ódio
Quem é o grupo chamado Uma Voz Judaica Pela Paz e por que esconde seus fundadores do público?
Lições Aprendidas e Ações a Serem Tomadas
E assim, devemos nos fazer duas perguntas: O que aprendemos? O que devemos fazer?
Sir Nicholas Winton organizou o resgate para a Grã-Bretanha de cerca de 669 crianças da Tchecoslováquia, em sua maioria judeus destinados aos campos de extermínio nazistas antes da Segunda Guerra Mundial, em uma operação conhecida como o Kindertransport Checo.
Por Irwin Cotler – Em Algemeiner.com
Escrevo num momento histórico de recordação e lembrança, de testemunho e advertência.
Muitos anos se passaram, mas, lamentavelmente, os judeus ainda continuam sendo alvo de perseguições e agressões no mundo. Por isso, é mais importante do que nunca manter viva a memória do Holocausto…
Há algumas semanas, dois jovens americanos foram assassinados em ataques terroristas, um em Israel e outro na França.
Junto com a ética do amor há uma ordem para abraçar uma ética de justiça. Amor é particular, mas justiça é universal. O Amor é apaixonado, mas a justiça é desapaixonada.
Facebook é uma mídia social, e justamente por isso possui uma responsabilidade social
O Massacre de Junho de 1941
Na verdade, ninguém jamais saberá quantos foram assassinados ou feridos durante aqueles dois dias sombrios. Estatísticas oficiais, baseadas em testemunhas temerosas e relutantes, listaram cerca de 110 judeus mortos.
Desde aquele tempo, têm havido repetidos pedidos ao Comitê Olímpico Internacional, principalmente por parte das famílias das vitimas, para prestarem um serviço memorial durante os jogos.
"Auschwitz" é o documentário produzido por Steven Spielberg mostrado em uma solenidade que celebrou o 70º aniversário da libertação de Auschwitz.
Passados 70 anos, a Europa volta a viver o pesadelo de racismo, xenofobia e ódio étnico. Partidos de extrema-direita voltam a galgar popularidade, com destaque para a França, Alemanha, Itália, Bélgica e outros países.
No verão de 1942, cerca de 300.000 judeus foram deportados de Varsóvia para Treblinka. Quando relatórios do assassinato em massa no campo da morte vazaram até o Gueto de Varsóvia, começou a  formar-se uma resistência armada, que conseguiu contrabandear uma pequena quantidade de armas para dentro do gueto.
Nem todos falaram com tanta força, mas este é o ódio que o Oriente Médio e os muçulmanos têm sentido durante décadas, e agora está surgindo na Europa. Para os judeus, “nunca mais” está se tornando “sempre”.
O campo de Theresienstadt era amplo. Entre 1942-1944, moças com 12-14 anos moraram no assim-chamado Quarto 28, no “Abrigo para Meninas L410”. Elas faziam parte das 75.666 pessoas que habitavam o gueto. Foram estigmatizadas por serem “meninas judias”, sendo todas perseguidas, roubadas e deportadas para Theresienstadt. Lá, seus caminhos se cruzariam.
Por Rabi Jonathan Sacks
Hoje, o Dia Memorial do Holocausto marcará o 70º aniversário da libertação de Auschwitz. Este ano também lembraremos as 12 pessoas mortas no ataque à revista satírica Charlie Hebdo em Paris, a policial assassinada e os quatro clientes num ...