Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

Shalom Aleichem

Shalom Aleichem

 E-mail

O cântico, Shalom Alechêm, entoado no início do Shabat, está baseado numa passagem talmúdica, segundo a qual um anjo bom e um mau acompanham a seus lares todos que voltam da sinagoga sexta-feira à noite.

Se os anjos encontram a casa preparada para o Shabat, a mesa festivamente posta, com velas reluzentes, toda a família vestida em suas melhores roupas, o anjo bom diz: "Que o próximo Shabat seja como este" e o mau responde, mesmo contra sua vontade: "Amên, que assim seja."

Se, por outro lado, acontece o contrário, e a casa não está preparada para receber a Rainha Shabat, o anjo mau diz: "Que o próximo Shabat seja como este" e o anjo bom, infelizmente, é obrigado a dizer: "Amên".

O Shabat cresce em estatura como resultado do fato de Israel, a nação escolhida por D'us, ter sido designado como seu companheiro. Como conseqüencia deste "casamento" a própria santidade do Shabat torna-se maior e mais intensa.

Shalom Alechêm

Boas vindas aos anjos

SHALOM ALECHÊM, MAL’ACHÊ HASHARET, MAL’ACHÊ E-L-YON, MI’MÊLECH MALCHÊ HAMELACHIM, HA’CADOSH BARUCH HU.

Que a paz esteja convosco, anjos ministrantes, anjos do Altíssimo, do supremo Rei dos reis, o Santo, bendito seja Ele.
(repete-se três vezes)

BOACHÊM LESHALOM, MAL’ACHÊ HASHALOM, MAL’ACHÊ E-L-YON, MI’MÊLECH MALCHÊ HAMELACHIM, HA’CADOSH BARUCH HU.

Bem-vindos, anjos da paz, anjos do Altíssimo, do supremo Rei dos reis, o Santo, bendito seja Ele.
(repete-se três vezes)

BARECHÚNI LESHALOM, MAL’ACHÊ HASHALOM, MAL’ACHÊ E-L-YON, MI’MÊLECH MALCHÊ HAMELACHIM, HA’CADOSH BARUCH HU.

Abençoai-me com paz, anjos da paz, anjos do Altíssimo, do supremo Rei dos reis, o Santo, bendito seja Ele.
(repete-se três vezes)

TSETECHÊM LESHALOM, MAL’ACHÊ HASHALOM, MAL’ACHÊ E-L-YON, MI’MÊLECH MALCHÊ HAMELACHIM, HA’CADOSH BARUCH HU.

Que vossa partida seja em paz, anjos da paz, anjos do Altíssimo, do supremo Rei dos reis, o Santo, bendito seja Ele.
(repete-se três vezes)

KI MAL’ACHAV YETSAVÊ LACH, LISHMORCHÁ BECHOL DERACHÊCHA. A-DO-NAI YISHMOR TSETECHÁ UVOÊCHA, MEATÁ VEAD OLAM.

Pois Ele ordena Seus anjos para ti, para te proteger em todos teus caminhos. O Eterno guardará tua saída e tua vinda, desde agora e para todo o sempre.
(repete-se três vezes)


Êshet Cháyil

Êshet Cháyil é um poema acróstico, onde cada versículo começa com uma letra do alfabeto hebraico em seqüência. É recitado pelo marido quando retorna da sinagoga na noite do Shabat.

Rabi Yitschac ben Nechemyá diz no Yalcut Mishlê: "Assim como D'us deu a Torá a Israel através das 22 letras do alef-bet, Ele louva a mulher virtuosa com estas mesmas 22 letras."

O poema descreve a esposa perfeita, de confiança do marido, caridosa para com os pobres e gentil para com todos, o marido e os filhos louvando-a como fonte de sua felicidade. Sua meta na vida é valorizar o crescimento do marido e dos filhos no conhecimento de Torá e nas boas ações.

Êshet Cháyil é o último capítulo do livro de Mishlê (Provérbios) do rei Salomão. Nossos sábios emprestaram diversas alegorias ao sentido literal de louvor à mulher judia; dizem alguns ser referente à Matriarca Sara ou à Bat Shêva, mãe de Salomão; outros o interpretam como se destinado à Torá, ao Shabat, ou à santificada Presença de D'us.

Êshet Cháyil,
A mulher virtuosa


ÊSHET CHÁYIL MI YIMTSÁ? VERACHÔC MIPENINIM MICHRÁ. BÁTACH BÁH LÊV BA’LÁH, VESHALAL LÔ YECHSSAR. GUEMALÁTEHU TOV VELÔ RÃ, COL YEMÊ CHAYÊHA. DARESHÁ TSÊMER UFISHTIM, VATÁAS BECHÊFETS CAPÊHA. HAYETÁ CAONIYOT SOCHER; MIMERCHAC TAVI LACHMÁH. VATÁCOM BEÔD LÁYLA, VATITÊN TÊREF LEVETÁH, VECHÔC LENAAROTÊHA. ZAMEMÁ SADÊ VATICACHÊHU; MIPERI CHAPÊHA NATEÁ CÁREM. CHAGUERÁ VEÔZ MOTNÊHA, VATEAMÊTS ZEROOTÊHA. TAAMÁ KI TOV SACHRÁH; LÔ YICHBÊ BALÁYLA NERÁH. YADÊHA SHILECHÁ VAKISHOR, VECHAPÊHA TAMECHU FÁLECH. CAPÁH PARESSÁ LEANI, VEYADÊHA SHILECHÁ LAEVYÔN. LÔ TIRÁ LEVETÁH MISHÁLEG, KI CHOL BETÁH LAVUSH SHANIM. MARVADIM ASSETÁ LÁ; SHÊSH VEARGAMÁN LEVUSHÁ. NODÁ BASHEARIM BA’LÁH, BESHIVTÔ IM ZIKNÊ ÁRETS. SADIN ASSETÁ VATIMCOR, VACHAGOR NATENÁ LAKENAANI. OZ VEHADAR LEVUSHÁH; VATISCHAC LEYÔM ACHARÔN. PÍHA PATECHÁ VECHOCHMÁ, VETORAT CHÊSSED AL LESHONÁH. TSOFIYÁ HALICHOT BETÁH, VELÊCHEM ATSLUT LÔ TOCHEL. CÁMU VANÊHA VAY’ASHERÚHA; BA’LÁH VAYHALELÁ. "RABOT BANOT ÁSSU CHÁYIL, VEAT ALIT AL CULÁNA. SHÊKER HACHÊN VEHÊVEL HAYÔFI; ISHÁ YIR’AT A-DO-NAI HI TIT’HALAL. TENU LÁ MIPERI YADÊHA, VIHALELÚHA BASHEARIM MAASSÊHA."

Quem pode encontrar uma mulher virtuosa? Seu valor excede em muito o das jóias. O coração de seu esposo confia nela, benefício não lhe há de faltar. Ela o trata com bondade, nunca com maldade, todos os dias de sua vida. Ela procura lã e linho e trabalha de bom grado com suas mãos. Ela é como os navios mercantes; traz seu alimento de longe. Levanta-se enquanto ainda é noite, alimenta seu lar e estabelece as tarefas para suas criadas. Ela avalia um campo e o adquire; de seu lucro planta um vinhedo. Ela cinge seus lombos com a força e dobra os braços. Ela está ciente de que seu empreendimento é proveitoso; sua lâmpada não se apaga à noite. Ela põe suas mãos sobre o fuso, e suas palmas empunham a roca [de fiar]. Ela oferece sua mão ao pobre, e estende suas mãos ao necessitado. Ela não teme por seu lar durante o frio, pois toda sua família está vestida [e aquecida] com lã escarlate. Ela faz sua própria tapeçaria; suas vestes são de fino linho e púrpura. Seu marido é famoso nos portais, quando ele senta-se com os anciãos da terra. Ela fabrica roupa branca e [a] vende, ela provê cinturões aos mercadores. Força e dignidade são seus trajes; ela olha sorridente para o futuro. Abre sua boca com sabedoria e o ensinamento da bondade está sobre sua língua. Ela observa a conduta de seu lar e não come o pão da ociosidade. Seus filhos levantam-se e a aclamam; seu marido a enaltece [dizendo]: "muitas filhas têm feito obras meritórias, porém tu superaste a todas elas! O encanto é enganoso e a beleza nada vale; uma mulher temente a D’us é a que deve ser louvada. Elogiem-na por suas realizações, e que suas obras louvem-na nos portões."

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
3 Comentários
1000 Caracteres restantes
Joselino Ramos 14 Agosto, 2016

Maravilhosamente construtivo .
A mulher que tem verdadeiramente a intenção de servir a D'us , ela precisa examinar e meditar nesse salmo.
Slalom aceitem. Reply

Luzie Dias Recife 28 Abril, 2016

Lindo poema Reply

Iracy Grun S. Paulo, SP/Brasil 29 Maio, 2012

Shabat Amei! Reply