Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

Como Reagimos Diante da Crise

Como Reagimos Diante da Crise

 E-mail

Por Eddie

Eu gostaria de compartilhar uma experiência. Trabalho com comércio exterior aqui nos Estados Unidos. Este é o meu terceiro ano de negócios; no meu primeiro ano negociei uma ninharia, o que significa que eu estava devendo para a firma que me apoiava. Fiz um grande esforço no Judaísmo durante meu segundo ano e tive sucesso suficiente para cobrir o que eu devia e ganhar um pouco, graças a D'us.

Este ano fiscal, que começou em outubro passado, foi bem promissor; pude zerar meus débitos com a firma – eles ficaram contentes comigo – eu tinha experiência para seguir em frente, eu tinha feito promessas de dar tsedacá (caridade) e estava trabalhando no sentido de partilhar Judaísmo com aqueles à minha volta inspirando alguns colegas a colocarem tefilin, estudarem Torá etc. Tudo parecia estar caminhando para o sucesso.

Infelizmente, outubro terminou com poucos negócios. Novembro foi um desastre e dezembro começou mal. Eu estava no vermelho e meu nível de estresse era alto, especialmente porque minha mulher esperava nosso primeiro filho. Eu não conseguia parar de pensar que seria outro ano de dificuldade igual ao primeiro, e achava que não conseguiria passar por aquilo. Durante este tempo minha observância do Judaísmo começou a cair bastante. As rezas ficaram mais curtas, meus contatos e divulgação ficaram ínfimos, e como um idiota. Toda vez que eu tentava reforçar minha emuná (fé), as dúvidas apareciam, uma parte de mim dizia que D'us desejava punir-me, e que eu simplesmente não sou o tipo de pessoa que pode ter a fé correta. Eu estava me enchendo de temores e me afastando da verdadeira solução, a emuná constante.

Rabino Lazer, sempre leio o seu site e cartas pessoais de emuná. Também encontrei cartas do Rebe falando sobre emuná. Vocês dois enfatizam como ter fé de que D'us cuidará de nós é a chave do sucesso. "Mais emuná, mais parnassá" (sustento)", o Rebe disse. Mesmo assim, eu não conseguia me livrar do estresse. Finalmente comecei a falar com minha mulher sobre emuná, declarando a ela meu desejo de ter a fé e confiança adequadas em D'us, de que as coisas dariam certo. Toda vez que os temores e as dúvidas surgiam, eu me forçava a pensar – D'us vai ajudar.

No último domingo, fui ao túmulo do Rebe, pedir uma bênção e ajuda. No dia seguinte, indo de trem para o trabalho, enquanto pensava como as coisas estavam difíceis, parei e tentei pensar o mais sinceramente possível: "Não posso esperar para ver como D'us vai me ajudar a sair dessa." Eu tinha uma calorosa sensação de confiança de que D'us proveria – senti-me muito bem. Quando desci do trem, vi uma mensagem no meu celular – era meu gerente no trabalho dizendo que algo grande tinha aparecido – algo muito bom.

Cheguei ao escritório e vi que um dos meus negócios, algo especialmente difícil, tinha dado certo, cobrindo inteiramente o meu déficit e me deixando em boa situação pelo ano que viria. Foi um milagre de D'us. Era uma bênção do Rebe, eu não tinha dúvida. Fui bem-sucedido de uma maneira que jamais teria sonhado, e apenas alguns dias antes eu dizia que o meu emprego não era bom. D'us não apenas fez um milagre para mim, como eu finalmente tinha o privilégio de ver a emuná funcionar em primeira mão. Emuná nos tsadikim (justos) e emuná em D'us, não importa quão difícil as coisas pareçam, sempre termina dando certo.

Eu gostaria de não ter cedido a todos estes meses de estresse e deixado cair o padrão do meu judaísmo devido à minha falta de fé. Espero ter aprendido com isso, quando enfrentar dificuldades no futuro. Escrever para você é uma das maneiras de tentar não perder os efeitos da minha experiência. Espero que outros possam se beneficiar dela também.

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
4 Comentários
1000 Caracteres restantes
Alexandre Belo Horizonte 4 Fevereiro, 2017

Emuná. Eu e a minha esposa nascidos nesta vida no sertão das Minas Gerais, temos muito a aprender e compartilhar sobre a nossa emuná.
Conhecemos e reconhecemos (milagres) do nosso D'us em nossas vidas. O milagre da vida! Reply

Viviani Melo Brazil 3 Fevereiro, 2017

Emuná. Essa experiência veio no momento certo, graças à D'us! Também trabalho com comércio exterior e ter lido sobre uma emuná pequena e o distanciamento, me fez refletir profundamente sobre a questão. Obrigada por compartilhá-la, Eddie!!! Reply

Eduardo Pasin Uruguay 31 Janeiro, 2017

Muito legal tua sinceridade e verdade, ou melhor, tua consciência do nosso único criador... Reply

Renato Ferraz são paulo 30 Janeiro, 2017

Passei por uma fase de falta de emuná ha poucos meses. Pedi transferência do setor de trabalho e pedi ajuda a um chefe do outro departamento que me conhece e sabe de minha capacidade profissional; porém não deu certo. Hoje sei que o que D-us queria, é que ficasse onde estou, pois tinha planos para mim. Confiei mais em um homem, do que em D-us, que pode todas as coisas. Reply