Diz-se do Rabino Yehuda Hanassi (Rabenu Hakadosh) que, em toda sua vida, ele nunca pronunciou palavras supérfluas. “Longe dessa conduta exemplar, as conversações da maioria das pessoas são supérfluas. Mesmo para as necessidades do corpo, não é necessário estender-se muito em palavras”.

Nossos sábios nos advertiram a esse respeito: “O muito falar provoca o pecado” (Talmud, Yoma 19b). Também disseram: “Não há nada melhor para o corpo do que o silêncio” (Pirkei Avot 1,17).