Entre em contato

O Shabat do Milênio

O Shabat do Milênio

 E-mail

Na década de noventa, um executivo judeu do ramo de publicidade em Nova York teve uma ideia. E se o New York Times – considerado o jornal mais prestigiado do mundo – publicasse semanalmente o horário de acendimento das velas do Shabat?

Sim, certamente alguém teria de pagar pelo espaço. Mas imagine o orgulho judaico que poderia resultar de uma menção tão proeminente do Shabat toda semana. Ele entrou em contato com um filantropo judeu e vendeu a ideia a ele. Custaria quase dois mil dólares por semana. Mas ele concordou.

E durante os cinco anos seguintes, judeus do mundo inteiro veriam: “Mulheres judias: O horário de acendimento das velas do Shabat nessa sexta-feira é…” Até que um dia o filantropo precisou cortar alguns de seus projetos. E em junho de 1999, o pequeno anúncio do Shabat deixou de aparecer no Friday Times, e a partir daquela semana nunca mais foi publicado.

Exceto uma. Em 1º de janeiro de 2000, o NY Times publicou uma Edição Milênio. Era um tema especial que ocupava as três primeiras páginas. Uma tinha as notícias de 1º de janeiro de 1900. A segunda tinha as notícias de 1º de janeiro de 2.000. E então havia uma terceira primeira página. Essa projetava eventos futuros de 1º de janeiro do ano 2.100. Essa página fictícia incluía coisas como boas-vindas ao 51º estado Americano: Cuba, bem como uma discussão sobre se os robôs deveriam ter permissão de votar. E assim por diante. E além dos artigos fascinantes, havia algo a mais:

Ao pé da primeira página do Ano 2.100, estava o horário de acendimento em Nova York para 1º de janeiro de 2.100. Ninguém pagou por aquilo. Foi colocado simplesmente pelo The Times. O gerente de produção do New York Times – um irlandês católico – foi indagado a respeito. Sua resposta foi imediata. E fala sobre a eternidade do nosso povo. E sobre o poder do ritual judaico. “Não sabemos o que vai acontecer no ano 2.100. É impossível prever o futuro. Mas de uma coisa vocês podem ter certeza. No ano 2.100, as mulheres judias estarão acendendo velas de Shabat.”

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
1 Comentário
1000 Caracteres restantes
José Evanilton Cabral de Queiróz 26 Maio, 2016

Porque esse ódio contra Israel? Israel é uma nação que desperta ódio dos seus vizinhos árabes. posso listar alguns fatores;
Israel é uma democracia muito sólida, tem um nível de educação e padrão de vida muito elevado, tem contribuído grandemente para a ciência com seus inventos tem uma tecnologia bastante avançada, é um País estrategista, muito embora é cercado de inimigos mas não ataca a nenhum deles muito pelo contrário se defende quando atacado, é um País extremamente rico auto sufisciente é um povo pacífico. Porém determinadas coisas que muitas vezes não entendemos o porque desse ódio, mas sabemos que as coisas não são apenas no campo político e diplomático é também de ordem espiritual. O próprio D'us criou o Estado de Israel se não vejamos Gn 32.28, no Cap. 22.24. que diz: Jacó ficou só e lutou com ele um varão.O varão que lutou com Jacó era o próprio Senhor. Então existe uma guerra espiritual representada no mundo material. Pois sobre o pequeno Israel está a mão de Deus. Reply