Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

O Mistério do Otimismo Judaico

O Mistério do Otimismo Judaico

5000 anos de tsurets e ainda estamos sorrindo?

 E-mail

Por Marc Angel

Conta-se a história de um homem judeu que estava viajando no metrô, lendo um jornal nazista. Um amigo dele, que estava no mesmo vagão, notou aquele fenômeno estranho. Muito aborrecido, ele abordou o leitor do jornal: "Moshe, ficou louco? Por que está lendo um jornal nazista?"

Moshê respondeu: "Eu costumava ler os jornais judaicos, mas o que encontrava? Judeus sendo perseguidos, Israel sendo atacado, judeus desaparecendo por meio da assimilação e dos casamentos mistos, judeus vivendo na pobreza, judeus sendo esfaqueados. Então mudei para o jornal nazista. Agora, o que vejo? Judeus são donos de todos os bancos, os judeus controlam a mídia, os judeus são todos ricos e poderosos, os judeus controlam o mundo. Estas notícias são muito melhores!"

A mensagem triste e dolorosa desta história é que a História não tem sido fácil para o povo judeu. De alguma maneira, porém, conseguimos manter nosso senso de humor!

Em cada geração, incluindo a nossa, temos enfrentado perversos inimigos que procuram nos destruir. Eles não se importam em nos conhecer como seres humanos; não tentam entender nossos ideais, nossas esperanças, nossas necessidades. Estão satisfeitos em estereotipar, desumanizar e nos caricaturar. Torcem todos os "fatos" contra nós. De geração em geração, eles transmitem um profundo ódio aos judeus.

Eles nos atormentam com sua violência e propaganda repleta de ódio. Eles pervertem a verdade para tornar nosso sofrimento ainda mais doloroso. Os nazistas e seus simpatizantes assassinaram seis milhões de judeus inocentes durante o Holocausto: e agora anti-semitas negam que o Holocausto jamais tenha acontecido! As nações árabes privaram os judeus dos direitos básicos durante séculos; fizeram guerra contra o Estado judeu, boicotaram, difamaram, discriminaram de toda maneira possível, e aí vão às Nações Unidas para condenar Israel por racismo!

Talvez tenham sempre odiado os judeus porque os judeus são a consciência do mundo. A Torá ensinou grandes ideais que muitos consideram ameaçadores: por exemplo, que todos os seres humanos são criados à imagem de D'us; que todos são responsáveis por seus atos; que os seres humanos devem ter compaixão uns dos outros e não tentar converter ou coagir o outro; e que a generosidade é superior à ganância. Porém muitos preferem os caminhos da violência e repressão, exploração e desumanização. Eles preferem fazer o povo judeu de bode expiatório em vez de enfrentarem suas próprias falhas.

Pensando sobre os milênios de abuso contra nós, surge uma questão: Como é possível que o povo judeu, em geral, seja caracterizado por um extremo otimismo e um estilo de vida positivo, visando ao futuro? Por que não desistimos da humanidade? Por que trabalhamos tanto para tornar o mundo melhor para todas as pessoas, judeus e não-judeus?

Em meus 32 anos como rabino e ativista comunal, tenho muitas vezes me surpreendido pelos muitos sinais do comprometimento judaico com a humanidade, com o futuro. Os judeus estão envolvidos com um vasta rede de organizações e causas de ação social. Damos uma imensa quantia para caridade. É difícil encontrar um empreendimento humanitário, cultural ou educativo que não tenha sido apoiado pelos judeus.

Homens e mulheres judeus, religiosos ou não tão religiosos, têm devotado seu tempo e energia a ticun olam, transformando, ou tentando transformar, o mundo em um local melhor para todos. Apesar das condenações das Nações Unidas, apesar do preconceito contra Israel em todo o mundo, boicotes, apesar do assassinato contra israelenses, o povo judeu e Israel permanece sendo uma nação idealista, comprometida com um futuro mais brilhante.

Sim, às vezes nos tornamos frustrados e deprimidos. Porém apenas por um momento. Na essência, estamos imbuídos com a crença num amanhã melhor. Não ficamos alquebrados pelos milhares de anos de injustiça, ódio gratuito, inveja, perseguições, pogroms e propaganda que temos tolerado; não ficaremos alquebrados agora.

Somos tão ingênuos assim? Teremos compreendido mal a profundidade e amplitude do sentimento anti-judaico? A nossa fé em D'us e na humanidade é tão forte a ponto de desafiar séculos de sofrimento infligido a nós, séculos de evidências de que o ódio pode persistir, crescer e até triunfar?

Somos tolos? Somos o povo mais sábio e mais idealista no mundo? Somos todas essas coisas?

O mistério da sobrevivência judaica é um dos mistérios da civilização humana. Mas um mistério ainda maior é como nós judeus conseguimos sobreviver à história brutal e permanecermos otimistas, idealistas e dedicados a ajudar na construção de um mundo melhor.

Não tenho uma resposta clara para este enigma, mas tenho orgulho de ser parte do problema.

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
6 Comentários
1000 Caracteres restantes
Elsio São Paulo 23 Outubro, 2016

A cada estudo que me aprofundo mais me sinto judeu, e com muito orgulho. Reply

Ivan Lins Ferreira Duque de Caxias - RJ 15 Abril, 2016

Fico feliz em perceber cada dia que passa, minha alma judaica, todas as vezes que estudo Torah através de Chabad, me sinto tão judeu, mesmo sabendo que muitas gerações da minha família passaram sem saberem sua identidade judaica. Baruch Ha'Shem! Reply

Ivan JR João Pessoa, PB/Brasil via beitchabad.org.br 15 Abril, 2016

Diante de todas as dificuldades e obstáculos que nós enfrentamos pelo caminho, sempre temos a esperança de que amanhã será melhor do que hoje. E assim vamos resistindo e deixando nosso legado ás novas gerações. Reply

Anônimo Rio de Janeiro 15 Abril, 2016

O grande poeta brasileiro, Gonçalves Dias, escreveu estes belos versos:
"Não chores, meu filho
Não chores, porque a vida
É luta renhida.
Viver é lutar!
A vida é um combate
Que os fracos, abate;
Aos fortes e bravos
Só faz exaltar."

Provavelmente, o poeta não escreveu estes versos pensando no povo judeu, mas por ser uma verdade universal.
Otimismo, força, perseverança e uma pitada generosa de bom humor são os ingredientes para o sucesso. Essa é a receita do exemplo e do sucesso judaico, apesar de toda sofrimento ao longo dos milênios.
Essa é a grande contribuição dos judeus para a humanidade. Reply

Anônimo 12 Abril, 2016

Não sou judia(a menos que se considere cristianismo como uma vertente do judaísmo),mas tenho grande admiração pelo povo judeu. Não foi sem motivo que Deus o escolheu. Acho que a cultura judaica teve (e tem)grande importância na cultura do Ocidente e devemos ter orgulho quando falam de nossa herança judaico-cristã. Podem considerar isso uma declaração de amor ao povo judeu que, ainda por cima, é alegre e simpático. Reply

Samua de Brito Paiva Rio de Janeiro/RJ 11 Abril, 2016

Que delícia de texto. É realmente muito bom ser judeu. Se para conquistar essa alegria e otimismo é preciso passar pela prova (sofrimento), que venha! Um de meus ditados preferidos é: "Mares calmos não fazem bons marinheiros!" Não há alegria maior do que a da vitória. Mas, sem BATALHA, não tem vitória! Reply