Entre em contato

Dez Maneiras de Parar de Se Preocupar e Começar a Viver

Dez Maneiras de Parar de Se Preocupar e Começar a Viver

 E-mail

Cara Rachel,

Estou sempre preocupada. Fico muito ansiosa sobre todas as coisas terríveis que podem acontecer. Vivemos num mundo tão perigoso, e tantos estão sofrendo. Estou sempre apavorada de que alguma calamidade vai se abater sobre mim ou aqueles que amo, D'us não o permita. Tomo todo o cuidado possível, rezo, mas estou sempre nervosa e tensa. Tenho sempre o pior cenário na minha cabeça. Por favor, me ajude. Essa é uma maneira terrível de levar minha vida.

Cenário “No Pior dos casos”

Resposta:

Cara Cenário “No Pior dos Casos”,

Mark Twain declarou a famosa frase: “Tenho passado por algumas coisas terríveis em minha vida, algumas das quais realmente aconteceram.”

Passamos tanto tempo nos preocupando com aquilo que pode acontecer, que na verdade não desfrutamos a vida. E você está certa – é uma maneira terrível de se viver. Mas não precisa ser assim. Medo e preocupação são uma escolha. Você está certa quando diz que temos pouco controle sobre os eventos da nossa vida, e há muitos perigos lá fora. Mas a única coisa que temos sob controle é nossa maneira de ver o mundo. É perigoso, ou cheio de oportunidades? Estamos seguros, ou o perigo está espreitando em cada esquina? As coisas caem sobre nós, ou tudo é parte de um plano divino?

Conta-se a história de um chassid que perguntou ao seu Rebe, o Maguid de Mezeritch: “O Talmud nos diz que devemos agradecer pelas coisas ‘más’ que acontecem assim como agradecemos pelas boas. Como isso é possível?

O Maguid disse a ele para perguntar ao Reb Zusha de Anipoli, um homem sagrado mas muito pobre. Ele morava numa casa pequena e dilapidada com sua família. Era magro e adoentado, e vivia com centavos. Quando o chassid foi até Reb Zusha com a pergunta, Reb Zusha estava ali em sua casa fria, com roupas puídas, e disse: “Não sei por que o Maguid mandou você me procurar. Jamais conheci qualquer infortúnio em minha vida.”

Reb Zusha entendia que não há nada de mau. Tudo na vida vem de D'us, e D'us é somente bondade. E embora possamos não entender no momento, tudo que D'us faz é para o bem. Sei que é um conceito difícil de entender. Há muita tragédia e sofrimento no mundo. Mas a fé em D'us é a ferramenta Número Um para lidar com seus temores.

Tendo isso em mente, aqui estão alguns conselhos para ajudar você a diminuir suas preocupações:

1 – Não fique obcecado por notícias.

Somos constantemente inundados com más notícias – no jornal, na Internet, na mídia social. Não admira que muitos de nós sejam farrapos nervosos. Ler as manchetes uma vez ao dia para saber o que está acontecendo é mais do que suficiente.

2 – Durma o suficiente.

3 – Coma saudavelmente.

Elimine a cafeína, que é uma grande causadora de estresse.

4 – Reze.

Mas reze menos como se estivesse falando com um policial que você teme vá lhe dar uma multa, e mais como um avô que quer mimar você. Reze pela sabedoria para reconhecer o bom e lidar com o “mau”.

5 – Ajude outras pessoas.

Quando você está ajudando outros, não se preocupa com você mesma. E quando se torna um doador, entende o quanto tem a oferecer.

6 – Seja grata.

Antes de ir dormir toda noite, faça um balanço de todas as bênçãos em sua vida e todas as coisas que correram bem naquele dia, e agradeça a D'us por elas.

7 – Passe algum tempo na natureza e caminhe todo dia.

Natureza e exercício têm efeitos calmantes.

8 – Encontre maneiras de divertir-se e rir.

É uma grande mitsvá ser feliz! E você não pode ser feliz e preocupada ao mesmo tempo.

9 – Use sua imaginação – para o bem.

Pensamentos têm poder, portanto use-os positivamente. Visualize todas as coisas maravilhosas que podem acontecer, veja-as acontecendo com o olho da sua mente, e há uma grande chance de que aconteçam.

10 – Procure o lado positivo em toda situação.

Em nossa longa, miraculosa história como nação – através de guerra, terrorismo e inquisição, de Amalek até Osama Bin Laden, e hoje o EI, das preces de nossa antepassada Sarah até as preces de uma Sarah na Califórnia ansiando por tornar-se mãe, de milagre em milagre – devemos sempre reconhecer o fato de que o Mestre do Universo é também o mestre do nosso destino. E devemos confiar Nele.

Ninguém pode garantir uma vida livre de sofrimento. Mas você não terá uma gota a mais do sofrimento que é decretado para você, a menos que o inflija sobre si mesma permanecendo preocupada e ansiosa o tempo todo. Caso os conselhos que lhe dei não ajudem muito, sugiro que converse com um rabino ou um terapeuta.

Que você tenha muitos motivos para se sentir feliz!

Rachel

Por Rosally Saltsman
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
2 Comentários
1000 Caracteres restantes
Cleide São José dos Campos 28 Março, 2016

Geralmente sofremos porque somos imediatistas...Queremos hoje e agora, e nem sempre a melhor hora é agora, e D'us está nos mostrando o caminho e não conseguimos enxergar... Reply

Elisangela Mato Grosso - Brasil 13 Março, 2016

Começar a viver É incrível como algumas pessoas sentem exatamente o que outras sentem neste mundo, mas não poderia haver conselhos melhores para refletirmos, não podemos nos esquecer de que o Eterno está no controle de tudo, apesar dos infortúnios da vida. Shalom. Reply