Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

Por que rezar nos túmulos dos justos?

Por que rezar nos túmulos dos justos?

 E-mail

Por que rezar nos túmulos dos justos? Pode-se pedir uma bênção de qualquer um que não seja D'us?

Certamente é permitido pedir uma bênção a D'us no túmulo de um tsadic (justo), pelo mérito deste justo. Além disso, a pessoa pode dirigir-se diretamente à alma do justo, implorando a ele que desperte a misericórdia no céu.

Nossos Sábios enumeram diversas razões para este costume:

  • Visitar um túmulo desperta sentimentos de tristeza, subjuga as inclinações materiais da pessoa, e a inspira a voltar-se para D'us em arrependimento
  • No dia anterior a Rosh Hashaná, é costume visitar o cemitério, pois sendo um local de descanso dos justos, é sagrado e as preces têm mais probabilidades de serem aceitas. Uma pessoa deveria pedir misericórdia a D'us pelo mérito dos justos que repousam na terra.
  • Visitar a sepultura dos pais ou de outros com quem se teve um vínculo estreito aguça as emoções e abre o coração, evocando profundos sentimentos de saudade e remorso. Se isso acontece à frente de um túmulo de um justo, a pessoa pode ser motivada à completa teshuvá, retorno.
  • Visitar o túmulo de um justo com quem se teve uma conexão pessoal é similar a um encontro pessoal de almas que ocorre quando o chassid procura o Rebe, buscando conselho e orientação. Na presença da santidade do justo, o constrangimento da pessoa logo se dissipa. A experiência é similar quando se visita o local de descanso do justo, pois os justos são mais notáveis após a morte que durante sua vida, e há uma influência residual da alma, que permanece associada com o corpo no túmulo, como explica o Arizal em sua obra Likutê Torá.
  • O Zôhar escreve que o justo pode mais eficazmente conseguir a misericórdia Divina após a morte que previamente. No Tanya, Igeret Hacôdesh capítulo 27 consta: "O verdadeiro âmago de um justo não é de carne; ao contrário, encerra as qualidades espirituais da fé, respeito e amor a D'us... Quando um justo se vai deste mundo, deixa sua fé, temor e amor a todos aqueles que lhe foram caros, para que possam receber ainda mais do que dele receberam enquanto viveu sua vida física com eles..."
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Inicie um Debate
1000 Caracteres restantes