Entre em contato

Os Irmãos Nachmeini

Os Irmãos Nachmeini

(cerca de 1500)

 E-mail

Havia uma próspera comunidade judaica em Valença, na Espanha. Os líderes da comunidade eram os irmãos Abraham e Solomon. Rabi Abraham era um homem de grande erudição e piedade, e Solomon era um grande financista e homem de fortuna.

Os irmãos Nachmeini e outros judeus em Valença viviam felizes até que surgiu a temida Inquisição. Os judeus começaram a sofrer terríveis perseguições e ataques perversos. Assim os líderes da Inquisição em Valença, com o Arcebispo Gasperi à frente, esperavam forçar os judeus a desistirem da fé e se voltarem à Igreja em busca de proteção.

Poucos judeus ricos de Valença foram intimidados a aceitarem o Cristianismo. Eles o fizeram somente na aparência, e eram chamados "Marranos". Dentre eles estava Solomon Nachmeini, mas este fato não foi comunicado ao seu irmão. Rabi Abraham, juntamente com a maioria dos judeus em Valença, foram trancafiados num gueto (bairro judaico). Somente uma hora por dia os judeus tinham permissão de sair do gueto para ficar na Fila dos Mendigos pedindo esmolas.

Solomon, agora chamado Severo, continuou a enviar dinheiro para seu irmão. Rabi Abraham assim, pôde continuar a apoiar os necessitados e transmitir-lhes coragem.

Gasperi soube dessa ajuda e mandou Solomon parar com aquilo. Solomon decidiu visitar seu irmão e ter uma conversa com ele. Passando pelas vielas estreitas do gueto, Solomon notou que todos lhe viravam as costas. Percebeu que seus irmãos de fé não mais o consideravam como um deles, mas sim como um covarde e traidor. Quando Rabi Abraham finalmente soube aquilo que o irmão tinha feito, rasgou as próprias roupas e sentou-se em luto, como se Solomon tivesse morrido.

Profundamente abalado pela humilhação, Solomon virou-se para sair porta afora. Mas parou à porta, hesitou, e voltou. Queria tentar redimir-se aos olhos do irmão.

"Abraham, escute-me" – implorou ele. "Acredita, mesmo que mesmo por um só minuto, eu abandonaria a fé dos nossos pais? Acha mesmo que eu teria mudado dentro do meu coração? Aquela cerimônia não passou de uma farsa! Assim que a tempestade passar, conseguirei transferir grande parte das minhas posses a um país que esteja fora do alcance da Inquisição. Ali desistirei publicamente da religião que me foi imposta. Enquanto isso, eu esperava poder ajudá-lo um pouco. Confie em mim, Abraham, esta é toda a verdade."

Abraham balançou tristemente a cabeça. "É fácil encontrar desculpas e acreditar nelas. Porém o verdadeiro motivo foi covardia e fraqueza, numa hora em que somente a coragem, a força e o verdadeiro auto-sacrifício pode preservar nosso povo. Quanto a você oferecer sua ajuda, não queremos seu dinheiro, porque foi comprado a um preço muito alto."

"Você está recusando a única ajuda com a qual pode contar, Abraham, e vai se arrepender. Gasperi está determinado a destruir você. Cuidado!" advertiu Solomon, preparando-se para sair.

"D'us, que tem preservado nosso povo durante séculos de exílio, não nos abandonará. Não estamos com medo" – respondeu Abraham.

A porta abriu e fechou-se, e Abraham continuou sentado em seu banco baixo, como um enlutado.

No dia seguinte Rabi Abraham Nachmeini tomou seu lugar na Fila dos Mendigos. A princípio, os judeus do gueto ficaram chocados. Seu querido e estimado Rabino, que tinha sido o apoio deles naqueles dias cruciais, estava agora reduzido ao mesmo destino do restante da comunidade judaica. Agora quem os protegeria dos planos perversos de Gasperi? Só o que lhes restava era rezar mais ainda para que D'us os salvasse. Logo, a visão do seu querido Rabino entre eles lhe deu nova coragem. O Rabino estava compartilhando sua humilhação e sofrimento, e eles procuravam partilhar sua fé e determinação.

O Arcebispo Gasperi estava ficando impaciente. Suas esperanças de esmagar os judeus de Valença não estavam dando certo. Seus espiões relataram que a presença de Rabino Abraham na fila dos mendigos, longe de mostrar aos judeus que estavam numa situação desesperadora, teve o efeito oposto. Ele decidiu então colocar em prática um novo plano para livrar-se de Rabino Nachmeini.

No dia seguinte, quando Rabino Nachmeini estava sentado na Fila dos Mendigos com seus irmãos do gueto, passou um homem a cavalo. Parou o animal perto do venerável rabino e atirou-lhe uma moeda. Deu meia volta no cavalo, usando as esporas afiadas e puxando as rédeas. O cavalo empinou furiosamente nas patas traseiras, e ao fazê-lo deu um coice no rosto do velho Rabino. No momento seguinte Rabino Nachmeini estava caído, com ferimentos graves, numa poça de sangue.

Tudo parecia um acidente, mas não havia dúvidas sobre a crueldade do plano. Durante semanas Rabino Nachmeini esteve de cama, às portas da morte. Perdera a visão e quase todos os dentes, e o rosto e cabeça estavam bastante feridos. Finalmente recuperou-se, mas sua visão não voltou. Seu povo não podia mais olhar em seus olhos profundos e sábios para deles extrair coragem e consolo. Estavam fechados para sempre.

Foi uma terrível calamidade. Porém o espírito de Rabino Nachmeini não estava destruído.

© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
1 Comentário
1000 Caracteres restantes
Rodrigo Vitória 11 Fevereiro, 2016

Gostaria de saber o final desse conto, de fato o sofrimento em que o povo judeu passa é algo absurdo. Reply