Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

Nunca vá para a cama furioso

Nunca vá para a cama furioso

Há origens judaicas neste ditado

 E-mail

Embora eu jamais tenha visto a frase assim - o conceito pode ser encontrado no Talmud e numa prece noturna antes de ir deitar.

O Talmud1 relata que Rabi Nechunia ben Hakanah e Rav Huna nunca iam dormir antes de perdoar quem quer que os tivesse ofendido.

No Kitzur Shulchan Aruch está escrito:

“… uma pessoa deve perdoar qualquer colega que o enganou, para que nenhuma outra pessoa seja punida por causa dele… Deve-se repetir três vezes: “Liberto todo aquele que me causou aborrecimento.” Em seguida, recita-se a prece: Ribono shel olam, hareini mochel… (Mestre do mundo, veja, eu perdoo…).2

Aqui está a prece recitada por muitos antes de recitar o Shema antes de ir para a cama:

“Mestre do mundo, veja, eu perdoo quem me enfureceu ou antagonizou, fosse diretamente contra meu corpo ou meu dinheiro ou minha honra ou qualquer coisa que me pertença. [Eu os perdoo]. Se a ação foi feita por acidente ou deliberadamente ou por negligência ou premeditação, se foi feita pela fala ou ação física… que nenhuma pessoa seja punida por minha acusa.”

NOTAS
1.
Talmud Tratado Meguila 28a
2.
Kitzur Shulchan Aruch 71:3
Por Rabino Simcha Bart
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Ordenar por:
Discussão (4)
21 Abril, 2016
Emet o o Eterno é muito justo.... e infinitamente maravilhoso...
Fernanda Reis
29 Abril, 2015
Não deixe que o sol se ponha sobre a vossa ira.
Sergio da Silva
São Paulo/SP
4 Agosto, 2014
D'us perdoe os meus pecados assim como tenho perdoado aqueles que me tem ofendido.
Sérgio
SP/Brasil
17 Março, 2014
Eu precisava ler isso no dia de hoje. Foi uma bênção.
Samua de Brito Paiva
Rio de Janeiro/RJ