Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

O Poder da Prece da Mulher

O Poder da Prece da Mulher

 E-mail

S ão muitos os exemplos na tradição judaica mencionando o poder da prece da mulher. Rachel, Miriam, Dvora – cada uma delas é lembrada até hoje pelo seu impulso feminino de implorer ou dar graças a D’us. Naturalmente, isso nos vem à mente quando lemos sobre Mulheres do Muro e seu ativismo ao rezar no Muro Ocidental remanescente do Templo Sagrado em Jerusalém, em maneiras que causam comoção.

Apesar de os patriarcas do povo judeu – Avraham, Yitschac e Yaacov – fossem a inspiração para as tradicionais três preces diárias, não foram eles, mas sim uma mulher humilde, sofrida, desconhecida na época, que os sábios talmúdicos escolheram para aprender como estabelecer as leis da prece, especialmente no que diz respeito à Amidá, a mais sagrada das nossas preces diárias.

Certamente havia algo sobre a qualidade da prece de Chana, a humildade e a sinceridade de suas palavras exortando D’us a responder aos seus anseios mais profundos, que tornou sua tefilá tão eficaz a ponto de tornar-se um modelo não apenas para as mulheres, mas também para os homens, sobre como devemos nos comportar durante a prece.

O Talmud nos mostra: “Rav Himnuna disse: ‘quantas leis importantes podemos derivar dos versículos que falam sobre Chana’. ‘Ela falava em seu coração’, com isso sabemos que se deve rezar com intenção. ‘Somente seus lábios se moviam’, daqui sabemos que a pessoa deve formar as palavras claramente com seus lábios. ‘Sua voz não era ouvida’, daqui sabemos que de ve-se rezar silenciosamente…” (Bav li, Berachot 31a).

Embora pela Lei Judaica as mulheres sejam isentas de cumprir mitsvot ligadas a um determinado horário, a mitsvá da tefila também aplica-se a elas. No decorrer dos tempos, nas comunidades judaicas as mulheres sempre adotaram a prece como sua própria mitsvá, rezando com integridade, atentas ao poder da prece que brota do coração com kavaná (intenção) descompromissada.

É verdade que vivemos numa época em que quanto mais alto melhor e que chamar a atenção é uma virtude.

Por Yehuda Krinsky
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
6 Comentários
1000 Caracteres restantes
Ângela Vitória Contagem 6 Julho, 2016

D'US seja louvado, amo também tudo que leio sobre Israel e o seu povo, também não sei explicar tanto amor que sinto por Israel. Reply

Regina Rodrigues Montes Claros 28 Maio, 2016

BENDITO seja O ETERNO que nos destes suas mistvots estatatutos e leis para seguirmos para obter paz e vida prospera.AMEN Reply

Maria Jose Santos RJ- Brasil 21 Março, 2014

Orai, orai, sem cessar. A oração é o combustível que sustenta a Fé.
Pensar em D'us, alegrar-se com Seus Atributos, reconhecer Sua Soberania em tudo, nas pequenas e nas grandes coisas, além de Buscá-LO na tristeza ou na alegria, em Espírito e em Verdade (Torá), isso mantém HaSHEM bem juntinho a nós.. Reply

Anônimo 7 Março, 2014

Excelente texto. Reply

Alberto de Souza Neto Belo Horizonte - Minas Gerais 7 Março, 2014

Mais uma vez a Mulher! Nos dando lições de vida. Ao extrair uma das costelas de Adão, D'us extraiu a parte mais sublime e criou esta bela criatura. Adoro vocês, meus irmãos Judeus. Reply

Anonymous Mogi guaçu -SP 27 Fevereiro, 2014

Falar do grande amor que sinto ao ler os artigos publicados. Não entendo o por que, só sei que amo ler tudo que fala sobre o povo judeu, leio e choro, não sei o motivo de tanto amor, só sei que amo.... amo muito! Reply