Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

A Evolução e Suas Consequências Morais

A Evolução e Suas Consequências Morais

 E-mail

Pergunta:

Meu filho e eu estávamos conversando sobre as origens da humanidade. Ele disse que ficava ofendido pela crença de que o homem descendia da família do macaco, e tinha certeza de que vínhamos todos de Adam e Eva. Eu, por outro lado, acredito na teoria de Darwin como uma explicação mais razoável para a nossa evolução, e creio que é ridículo continuar ensinando o mito da criação às crianças. Obviamente, essa discussão pode continuar girando em círculos para sempre. Você consegue lançar alguma luz sobre o tópico?

Resposta:

Um rabino idoso estava certa vez num avião indo para Israel, sentado ao lado de um autoproclamado ateu. Ficaram conversando amigavelmente durante toda a viagem.

De vez em quando o neto do rabino, sentado em outra fileira, ia até ele, trazendo algo para beber, ou perguntando se podia fazer algo para deixá-lo mais confortável. Depois que isso aconteceu várias vezes, o ateu suspirou: “Gostaria que meus netos me tratassem com tamanho respeito. Ele mal me cumprimentam. Qual é o seu segredo?”

O rabino respondeu: “Pense sobre isso. Para meus netos, estou duas gerações mais próximo de Adam e Eva, os dois indivíduos feitos pela mão de D'us. Portanto, eles me respeitam. Mas segundo a filosofia que você ensina aos seus netos, você está duas gerações mais perto de ser um macaco. Então, por que eles deveriam respeitar você?”

Crenças têm consequências. Se as crianças hoje não têm respeito e são incapazes de honrar os mais velhos, se a tradição é desprezada e os valores do passado são esquecidos, não será uma consequência da moderna educação? Se ensinamos nossos filhos que eles são meramente animais mais avançados, então eles agirão dessa forma. E tratarão seus pais e professores como versões obsoletas da humanidade que são.

Temos de estar conscientes sobre os efeitos de nossas crenças. Se acreditamos que os seres humanos surgiram por acidente, então a vida não tem significado. Não pode haver sentido em algo que acontece aleatoriamente. Uma explosão ou mutação ao acaso não pode nos dar um propósito. Minha vida, sua vida e toda a história humana não têm qualquer verdadeiro significado. Não faz diferença se levo uma boa vida ou uma repleta de mal. Seja como for, é tudo acidental.

Somente temos propósito se fomos criados de propósito. Nossas vidas têm significado apenas se fomos criados por um ser significativo. Se ensinamos nossos filhos que eles foram criados de propósito com um propósito, então eles saberão que é esperado mais deles que de um animal. A história de Adam e Eva precisa ser ensinada, não apenas porque é verdadeira, mas porque é a base da moralidade.

Tanto o criacionismo quanto o darwinismo exigem fé. Aceitar que D'us criou o homem e a mulher precisa de fé. Aceitar que um organismo unicelular espontaneamente passou por bilhões de mutações para formar o ser humano também exige fé. Mas somente uma dessas crenças exige que você leve uma vida moral. É esta que quero ensinar aos meus filhos.

Por Aron Moss
Rabi Aron Moss ensina Cabalá, Talmud e Judaísmo prático em Sydney, Austrália, e contribui frequentemente com Chabad.org.
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Ordenar por:
Discussão (2)
1 Março, 2014
Shalom! Li o conto abaixo no livro "O Mais Completo Guia sobre Judaísmo" do rabino Benjamin Blech.
Um rabino que conversava com um ateu sobre a existência, ou não, de D-us. Em determinado momento o ateu pediu licença e saiu. Então o rabino pegou uma caneta, escreveu um poema e depois quebrou a caneta espalhando a tinta sobre o papel. Em outra ocasião encontrou o mesmo ateu e lhe mostrou o papel dizendo:
- Veja, depois que você saiu, uma caneta, que estava junto de uma folha em branco, estourou e este poema surgiu.
O ateu, depois de observar incredulamente o papel, disse:
- Você espera mesmo que eu acredite nessa história? Acha que eu sou um tolo? É claro que foi você que escreveu esse poema.
O rabino lhe respondeu:
- Não meu amigo, mas você pensa que eu sou tolo. Afinal você não pode acreditar que um simples poema surgiu ao acaso, mas é capaz de fazer os outros acreditarem que todo o universo surgiu?
Thales Raniery
Rio de Janeiro, Brasil
25 Janeiro, 2013
Shalom Israel! Texto muito bonito e esclarecedor,um exemplo mais que correto a ter em conta. Copiei e gravei na pen de trabalhos relacionados com o mesmo.
Eu quando era criança e adolescente nunca aceitei essa teoria da evolução do Homem e das coisas existentes, porque andei em escolas públicas onde não gostava da História que éramos obrigados a saber e contradizia aos professores sobre essa matéria. Sem saber que tinha um dom que D'us me deu sentindo-me um filho de Israel, por volta dos meus 24 anos, com a ajuda de um amigo.
Hoje com 48 anos continuo a entender a verdade sobre o Amado e Glorioso Criador do Universso. Nós filhos de Israel lutamos para fazer o bem ao nosso próximo.
Daniel Piçarra
Albufeira, Portugal