Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Entre em contato

O Mês de Nissan

O Mês de Nissan

 E-mail

Nissan é o primeiro dos doze meses do calendário judaico.

O primeiro mandamento dado à recém-nascida nação de Israel antes do Êxodo do Egito foi:

"Este mês [Nissan] será para vós o primeiro dos meses" (Shemot 12:2)

Nissan começa, especificamente, o "período" (tekufá) da primavera. Os três meses desta tekufá – Nissan, Iyar, Sivan – correspondem às três tribos do acampamento de Yehuda – Yehuda, Issachar, Zebulun – que se situavam a leste). Na Torá, Nissan é chamado de "mês da primavera" (chodesh ha'aviv).

Além disso, Nissan dá início aos seis meses de verão, que correspondem aos seis níveis de "luz direta" (no Divino serviço – "despertar do acima"). Há uma alusão a isso no nome aviv, que começa com as duas letras alef e beit, na ordem "direta" ou "reta" do alef-beit.

Refere-se a Nissan como "o mês da redenção". Segundo a opinião aceita de Nossos Sábios: "Em Nissan nossos antepassados foram redimidos do Egito e em Nissan seremos redimidos" (Tratado Rosh Hashaná 11a).

Nissan é um mês de milagres (nissim). O fato de o nome Nissan possuir dois nuns sugere, segundo Nossos Sábios, nissei nissim – "milagres dos milagres." Sobre a redenção do futuro é declarado: "Como os dias de vosso êxodo do Egito, Eu revelarei a ele maravilhas." Na Chassidut, este versículo é explicado como significando que as maravilhas da redenção do futuro serão assombrosas e miraculosas, equivalentes aos milagres do Êxodo do Egito – "milagres dos milagres".

Letra: Hei

A letra hei é a origem fonética de todas as 22 letras do alef-beit.

Nossos Sábios ensinam que "com a letra hei, D’us criou este mundo", como é declarado no início da segunda narrativa da Criação (que corresponde ao calendário judaico, começando a partir de Nissan): "b'hibaram – b'hei bera'am." Assim, o mês de Nissan significa a renovação anual da criação deste mundo.

Mazal: Talê (Aries – carneiro)

O talê simboliza o sacrifício de Pêssach, o primeiro sacrifício do povo judeu a D’us quando da sua redenção. O próprio povo judeu é simbolizado como um cordeiro (dentre setenta lobos). De todas as criações de D’us, o cordeiro possui a inata capacidade de despertar misericórdia pela sua voz (a origem do sentido da fala do mês de Nissan).

Tribo: Yehuda

Yehuda é o rei (a "primeira") das tribos de Israel. Seu nome significa dar graças, na fala (o sentido de Nissan). O rei governa seu povo pelo poder de suas palavras, como está escrito: "pois a palavra do rei é sua lei." O mês de Nissan é "o ano novo para reis" (Mishná Rosh Hashaná 1:1).

Sentido: Fala

O sentido da fala sugere a capacidade da pessoa de expressar seus mais profundos sentimentos e opiniões ao próximo. Todas as formas de expressão são referidas genericamente como "fala". "Este mundo" (criado pela letra hei de Nissan) está baseado em comunicação (verbal). Personificando a sefirá de malchut (reino), é freqüentemente chamado de "o mundo da palavra" (ou "o mundo revelado").

O próprio radical para "fala" significa também "liderar". Assim, o sentido da fala é basicamente o sentido de liderança.

A principal mitsvá do mês de Nissan, na noite do sêder, é a narrativa da história do Êxodo "quanto mais se narra o Êxodo do Egito, mais ele é louvável." Esta é a principal mitsvá da fala de todo o ano. Dos 15 estágios do sêder (15 = a soma de todos os números de 1 a 5), maguid – a narrativa da história do Êxodo – é o 5º estágio. 5 = hei. O estágio do maguid começa com a palavra "hei" (hei lachma anya, "este é o pão do homem pobre").

A redenção do Egito (o estado existencial de "confinamento", a incapacidade de expressar realmente a si próprio – "todos os exílios são referidos como Egito") simboliza a "liberdade da fala"

Controlador: Pé Direito

Assim como "falar" significa "liderar", assim também o caminhar (com o pé direito, o pé da confiança e segurança) dirige e controla o sentido da fala da pessoa, como se diz: "andarilhos a caminho, falai" (Canção de Dvora, Juizes, 5:10). Falar palavras da Torá enquanto caminhando na trilha inspira novo entendimento rumo aos segredos da Torá. E assim, descobrimos que muitos dos segredos do sagrado Zohar foram revelados no contexto de "caminhando na trilha."

Por Rabino Yitzchak Ginsburgh
Rabino Yitzchak Ginsburg é fundador e diretor do Instituto Gal Einai: Instituto de Estudo Interdisciplinário Avançado de Torá, Arte e Ciências. Renomado explicador de Cabalá e Chassidut, Rabino Ginsburg escreveu mais de quarenta livros esclarecendo tópicos de Torá como psicologia, medicina, política, matemática e relacionamentos.
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Participe da discussão
Classificar por:
2 Comentários
1000 Caracteres restantes
Juscelino Soares Coronel Fabriciano 1 Junho, 2016

Maravilhoso. Gostaria de mais alguma sugestão de um dos pontos abordado aqui, liderar (como sentido da fala). Gostei muito do artigo. Shalom Reply

Ester Poços de Caldas, MG via chabadpoa.org 22 Março, 2015

parasha Tsav shalom... Estou aprendendo e praticando.
Todá... Reply