Entre em contato

O Que É Hashgachá?

O Que É Hashgachá?

A Suprema Interação do Usuário

 E-mail

O Que é

Geralmente traduzida como providência, em termos teológicos, Hashgachá significa não apenas que D'us sabe o que está se passando aqui, mas está engajado em supervisionar também. Hashgachá é uma espécie de interação entre Criador e criação, por meio da qual cada um responde e interage com o outro. Uma forma da palavra aparece primeiro nos Salmos: “De Sua morada Ele vigia todos os habitantes da terra.”1

Hashgachá é uma importante distinção entre as cosmologias pagãs e judaicas. A pagã geralmetne acredita também numa entidade suprema, no entanto aquela divindade é considerada suprema demais e exaltada para descer para supervisionar este mundo inferior. Filósofos pagãos como Aristóteles consideravam a sabedoria de D'us como estando engajada apenas nos mundos ideais, atemporais, além do nosso. As narrativas da Torá e sua declaração de que o único D'us supremo é o D'us acima de todas as forças da natureza se colocam em confronto direto com essa maneira de pensar.

Duas Abordagens

Embora, sem exceção, os pensadores judeus clássicos reconheçam D'us através do domínio e onisciência “dos chifres do boi selvagem até o menor piolho”,2 apesar disso, duas abordagens distintas a Sua Hashgachá podem ser discernidas dentro de textos judaicos clássicos:

A partir do significado básico dos textos escriturais, talmúdicos e midráshicos emerge uma visão de D'us intimamente envolvido em todo detalhe de Suas obras, provendo até “ao urubu recém-emplumado que por isso grita”.3

Os filósofos do Judaísmo, porém, viam D'us num papel mais passivo. Para eles, o grau de supervisão Divina corresponde diretamente à transcendência da pessoa nos assuntos terrenos. Um tsadic é envolvido pela supervisão de D'us em todo detalhe de sua vida, ao passo que uma pessoa grosseira e materialista é atirada num mundo de causas naturais e aleatórias junto com os animais e a flora. Neste reino inferior, os filósofos veem a Hashgachá aplicando-se somente quando um evento afeta o plano Divino. Mesmo assim, segundo essa visão, “a circunstância ao acaso tem sua fonte Nele, pois tudo vem Dele e é controlado pela Sua supervisão.”4

Credita-se ao Baal Shem Tov a reintrodução da ideia de Hashgachá Pratit – supervisão Divina detalhada de toda ocorrência e toda criatura. Rabi Shneur Zalman de Liadi, um dos mais destacados proponentes do pensamento chassídico, articulou uma base racional para esta opinião, conectando a hashgachá a outro tema vital na filosofia judaica, a criação contínua.

Onde Isso Leva Você

A fé na hashgachá do Criador fornece a base para a bitachon. Através da sua crença em Sua hashgachá você se eleva a um nível no qual D'us está intimamente envolvido em sua vida, numa maneira aberta, benéfica.

Aquele que acredita em Hashgachá Pratit encontra D'us em tudo que vê ou ouve. Cada faceta da vida torna-se uma oportunidade para se conectar com o Infinito, e isso é mais um motivo para celebração.

NOTAS
1.
Salmos 33:14
2.
Talmud, Avodah Zarah 3 b
3.
Salmos 147:9
4.
Joseph Ergasm Shomer Emunim.
Por Tzvi Freeman
Rabino Tzvi Freeman, editor sênior de Chabad.org, também lidera nossa equipe Pergunte ao Rabino. É autor de Trazendo o Céu para a Terra. Para inscrever-se e receber atualizações regulares sobre os artigos de Rabino Freeman, visite os Freeman Files.
© Direitos Autorais, todos os direitos reservados. Se você gostou desse artigo, encorajamos você a distribuí-lo, desde que concorde com a política de copyright de Chabad.org.
 E-mail
Inicie um Debate
1000 Caracteres restantes