Hoje fazem 72 anos desde o "Kristallnacht", a noite de 9 a 10 de novembro de 1938, na qual os nazistas organizaram um pogrom em toda Alemanha e Áustria ocupada, a terrível noite quando o Holocausto começou com toda sua fúria.

Este pogrom ficou conhecido como a "Noite dos Cristais Quebrados" ou "Kristallnacht", uma referência aos vidros das janelas e vitrines quebradas de sinagogas, casas, lojas e centros comunitários judaicos que foram profanados e destruídos durante o mesmo. Ao todo, vários judeus foram mortos, pelo menos 267 sinagogas queimadas e destruídas, 7.500 lojas judaicas saqueadas e vandalizadas e 30 mil judeus deportados para campos de concentração. A partir de análises de historiadores especialistas e testemunhos, foi a "Noite dos Cristais Quebrados", que se constitui em um marco histórico da intensificação da política nazista anti-judaica, a noite que culminou com o Holocausto e o assassinato sistemático e massivo de judeus durante o nazismo, foi nesta noite que todas as pessoas com descendência judaica foram destituídas de seu direito de viver como seres humanos para tornar-se apenas números, um estigma, um destino traçado para a morte eminente sem volta e sem motivo; por simplesmente terem nascido judeus.

Vejá também o artigo Nós, Os Sobreviventes.