Entre em contato
Quem é judeu? O Judaísmo é uma “religião”? O termo “judeu não-religioso” é uma contradição? Pode alguém ainda ser judeu sem observar os editos e ética da Torá na vida cotidiana? É possível ser um bom judeu… sem ser religioso?

Identidade Judaica

Identidade Judaica

 E-mail
A verdade espiritual é que a base da prece é voltar-se a D’us, com todo seu coração, e pedir a Ele para preencher suas necessidades.
Quando você está entediado com a vida
Aja, aja mais e mais ainda. Continue a realizar ações Divinas, morais e sagradas, muitos atos Divinos e bons, mesmo que para você pareçam emprestados e vazios.
Essas pequenas ansiedades podem realmente aumentar... Como processo esses pensamentos para que eles não me deixem ansiosa?
5000 anos de tsurets e ainda estamos sorrindo?
A Torá ensinou grandes ideais como todos os seres humanos são criados à imagem de D'us, que todos são responsáveis por seus atos, que os seres humanos devem ter compaixão uns dos outros e não tentar converter ou coagir o outro e que a generosidade é superior à ganância.
Por Mel Brooks
Pense nos nomes de muitas figuras dos tempos atuais, responsáveis pelas maiores conquistas intelectuais da história – MARX, FREUD, EINSTEIN – e encontrará prova do veredicto bíblico: “Certamente este é… um povo sábio e inteligente.” Simplesmente não há maneira de negar isto.
Talvez seja este o desafio da nossa geração: enfrentar as questões do que significa se apaixonar, o que significa casar, e o que significa ser judeu. E – ao contrário de qualquer geração anterior à nossa – ter respostas verdadeiras.
É muito mais fácil para mim agir como judeu hoje que pensar como judeu. Sim, D'us nos escolheu e nos ensinou a agir judaicamente. Mas Ele também quer que pensemos como judeus; reacender nosso cérebro para que nosso raciocínio cresça em sincronia com Seu raciocínio. Essa é uma distinção bastante profunda.
Portanto assim é conosco, e você é um de nós, e esteja onde estiver, em qualquer parte do mundo, você será um da nossa família. Pode entrar em qualquer sinagoga ou centro comunitário judaico e dizer: “Alô, acabo de descobrir que sou judeu,” e será abraçado como um irmão perdido há muito tempo.
O destino do povo judeu é ser uma voz forte de bondade e moralidade entre a família das nações. Quando nos unimos com nossa comunidade e nos comprometemos com a visão partilhada de nosso povo, então somos uma presença formidável. Não porque somos um bilhão, mas porque somos um.
Para o judeu, a revelação não foi um meio para que o homem visse a aparência de D'us. Ao contrário, foi a maneira que D'us usou para fazer os judeus saberem o que era importante para Ele por meio da revelação de Seu propósito, ao invés de Sua pessoa.
Um relato objetivo teria parecido ditar que você primeiro narra os fatos (um homem tentou assassinar outro) antes de comentar sobre a personalidade e caráter da vítima.
Não importa se você tem um cargo humilde numa prefeitura ou num pequeno sindicato ou um alto cargo num governo nacional, os princípios são os mesmos: você deve saber o que quer atingir, ter certeza de seus objetivos, e ter aquelas metas constantemente em mente.
O "Shemá" é garantia que terão sonos tranquilos e uma vida segura?
O que faz esta prece ser tão genuina e especial a ponto de incutirmos em nossos filhos, do início ao final de suas vidas? O "Shemá" é garantia que terão sonos tranquilos e uma vida segura?
Quando uma conversão se dá de acordo com a lei judaica, devemos entender que trata-se de uma alma que sempre foi judia. Nada foi convertido, nada mudou. Por razões conhecidas pelo Todo-Poderoso, essa alma esteve encarcerada na conjuntura de uma mãe não-judia, e esse é o seu teste, a sua missão.
A única diferença significativa entre um judeu e outro é o nível e intensidade de expressão dessa essência comum, a neshamá. Em alguns ela se manifesta constantemente, em outros uma vez por ano e em outros apenas uma vez na vida.
O medo mais daninho é o medo mental. Essa falsidade lança um delírio sobre os membros mais sensíveis e belos da raça humana, pessoas que são uma bandeira, que atuam como luminárias que iluminarão os caminhos da vida para todos.
A família é a unidade que cria vida e é seu mais poderoso agente de transmissão da memória coletiva e pessoal. É por isso, em parte, que há tamanha ênfase em “geração” na Torá, por que ensinar e aprender são tão valorizados – porque são atos de transmissão, e recepção e renovação pela geração seguinte… do legado, do presente.
Nunca antes tivemos tanta oportunidade e liberdade, e mesmo assim escolhemos D'us. O Shema Israel de hoje é de viver por D'us. Viver e prosperar no mundo e ao mesmo tempo declarar orgulhosamente nossa identidade como judeus.
Baseada nos ensinamentos do Rebe
Segundo a Lei da Torá, o Judaísmo de uma pessoa não é uma questão de estilo de vida ou autopercepção: ele pode ser inconsciente por completo de seu Judaísmo e ainda ser judeu, ou pode-se considerar judeu e cumprir todos os preceitos da Torá e ainda assim não ser judeu.