Here's a great tip:
Digite seu endereço de e-mail e lhe enviaremos nossa revista semanal com conteúdo novo, interessante e reflexivo que irá enriquecer sua caixa de entrada e sua vida, semana após semana. E é gratuito.
Oh, and don't forget to like our facebook page too!
Para visualizar os horários de Shabat clique aqui para configurar a sua localização

Quarta-feira, 28 Fevereiro, 2018

Jejum de Esther
Horas haláchicas (Zemanim)
Para visualizar horários haláchicos Clique aqui para configurar a sua localização
História Judaica

A 13 de Adar de 3405 (356 AEC), ocorreram batalhas em todo o Império Persa, entre os judeus e aqueles que procuravam matá-los para cumprir o decreto emitido pelo Rei Achashverosh 11 meses antes. (Achashverosh jamais rescindiu aquele decreto; porém após o enforcamento de Haman, a 16 de Nissan do ano anterior, e a súplica da Rainha Esther em prol do seu povo, ele concordou em emitir um segundo decreto autorizando os judeus a se defenderem contra quem tentasse matá-los). Naquele dia foram eliminados 75.000 inimigos, e 500 na capital, Shushan, incluindo os dez filhos de Haman, cujos corpos foram subseqüentemente pendurados. Os judeus não saquearam nenhum objeto dos mortos, embora estivessem autorizados a fazê-lo pelo decreto do rei. (O Livro de Esther, cap. 9).

Os macabeus derrotaram o general sírio Nicanor numa batalha travada quatro anos após a libertação dos macabeus da Terra Santa e o milagre de Chanucá.

Leis e Costumes

Um jejum é observado hoje por todos os adultos (acima de bar ou bat mitsvá) em celebração ao jejum de três dias por ordem de Esther antes que ela arriscasse a vida para aparecer perante o Rei Achashverosh sem ser chamada, a fim de salvar o povo judeu do perverso decreto de Haman (conforme é relatado no Livro de Esther, cap. 4). O jejum também comemora o jejum de Esther em 13 de Adar, enquanto os judeus lutavam contra seus inimigos. Não é permitido qualquer alimento ou bebida do nascer ao pôr-do-sol. Mulheres grávidas ou amamentando, e ainda pessoas doentes, estão isentas do jejum.

Em lembrança ao meio-shekel doado por todo judeu no Templo Sagrado – e ao qual o Talmud credita como tendo contrabalançado as 10.000 moedas de prata que Haman deu a Achashverosh para obter o decreto real conclamando para o extermínio do povo judeu – é costume em muitas sinagogas colocar sobre uma bandeja três moedas de prata, para que todos possam levantá-las simbolicamente e colocar uma tsedacá, cumprindo assim o costume de doar ½ shekel, na tarde do jejum de Ester. A Festa de Purim começa hoje ao anoitecer, e a Meguilá (Livro de Ester) é lida pela primeira vez esta noite.

A Meguilá de Esher é lida pela primeira vez esta noite.